O que é?

O Mapa de Feiras Orgânicas é uma ferramenta de busca rápida, idealizada pelo Idec, com objetivo de tornar os produtos orgânicos mais acessíveis aos consumidores e fomentar uma alimentação saudável em todo Brasil.

Por que um Mapa?

Com base em algumas pesquisas, muitos consumidores prefeririam orgânicos se eles fossem mais baratos e se houvesse mais canais de comercialização (feiras) próximos de suas residências. Em um levantamento de preço dos alimentos orgânicos feito pelo Instituto em 2010, todos eram mais caros nos supermercados, em comparação com as feiras – com diferenças que chegavam a até 463%. Em recente análise feita com os dados da POF (Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009), essa diferença ainda permanecia.
Assim, para fomentar esses canais alternativos, o Mapa traz georeferenciadas as feiras orgânicas, os grupos de consumo, as comunidades suportadas pela agricultura, os produtores e agricultores orgânicos e as associações e cooperativas de produtores. Tudo isso para encurtar o caminho do consumidor até o produtor, possibilitando ao consumidor uma ampla diversidade de acesso aos alimentos orgânicos.

Afinal, para que preciso saber disso?

O Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos, com um crescimento ano após ano e um faturamento bilionário (Fonte: Sindiveg). Estima-se que cada um de nós consumimos aproximadamente 5 litros de agrotóxico por ano! Segundo levantamento da ANVISA (2011-2012), uma média de 30% dos alimentos estão irregulares – com agrotóxicos não permitidos para a cultura, proibidos no país ou acima do limite máximo permitido. Já há vários estudos que apresentam a relação do consumo de agrotóxicos com problemas como cânceres, má-formação, intoxicação, entre outros, além de todos os problemas ambientais que acarreta. Diante desse cenário, precisamos encontrar alternativas que realmente nos alimente sem prejudicar nossa saúde e bem estar. E o Mapa tem justamente este propósito.

O que compõe o Mapa?

Feiras Orgânicas ou Agroecológicas: Feiras são os espaços mais antigos de comercialização que ainda resistem em alguns municípios. As feiras são uma ótima alternativa da compra direta com o produtor, diminuindo intermediários no processo (e, consequentemente, o preço), estimulando a autonomia do produtor e valorizando a produção local de alimentos.

Grupos de Consumo Responsável (GCR): São iniciativas de consumidores organizados que se aproximam de produtores e, juntos, propõem comprar produtos diferentemente da forma como ocorre no mercado tradicional, agregando preocupações com as questões sociais e ambientais e de saúde em todo o processo: produção até o consumo. Seu propósito é fomentar o consumo de alimentos diretamente do produtor, por meio de cestas orgânicas, por exemplo. Não existe uma regra de funcionamento, cada grupo possui a sua.

Agricultura Suportada pela Comunidade (CSA): CSA (Community Supported Agriculture) é uma nova relação entre consumidores e produtores. Os consumidores (comunidade) financiam produtores e, em troca, recebem o que é colhido e produzido. Essa forma de arranjo permite uma sustentabilidade aos produtores que têm garantia da venda de sua produção e uma aproximação da comunidade nos processos produtivos.

Produtores e/ou Agricultores Orgânicos ou Agroecológicos: Produtores e/ou Agricultores que, em seu sistema de produção, não utilizam agrotóxicos ou qualquer defensivo químico.

Associações e/ou Cooperativas de Produtores Orgânicos: Associações e/ou Cooperativas são conjunto de produtores que se organizam para melhorar o escoamento de seus produtos.